segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Igreja no Brasil dá início ao Mês Missionário: “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”

 Ação Missionária 

Igreja no Brasil dá início ao Mês Missionário: “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”
“A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”, este é o tema escolhido pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) para a Campanha Missionária de 2017 que será trabalhada durante todo o mês de outubro. A inspiração vem do convite do papa Francisco na Evangelii Gaudium para uma “nova etapa evangelizadora marcada pela alegria” (EG,1).
O Mês das Missões é um período de intensificação das iniciativas de animação e cooperação missionária em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar vocações missionárias. A coleta no Dia Mundial das Missões – instituído pelo papa Pio XI em 1926, que ocorre sempre penúltimo final de semana de outubro, este ano será nos dias 21 e 22.
Todos os recursos arrecadados são utilizados para a animação e cooperação missionária em todo o mundo, pois e uma coleta universal.
Tudo está em sintonia como os ensinamentos do papa Francisco quando afirma: “A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontraram com Jesus” (EG 1). Essa alegria precisa ser anunciada pela Igreja que caminha unida, em todos os tempos e lugares, e em perspectiva ad gentes. Por isso, o lema: “Juntos na missão permanente”.
Para o bispo auxiliar de São Luís (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Esmeraldo Barreto de Farias, a campanha não deve ser restrita aos conselhos missionários paroquiais ou diocesanos.
“Todos nós somos convidados a participar, pastorais, movimentos e as pessoas de boa vontade. A igreja é por natureza missionária e, cada um e nós, a partir do nosso batismo somos chamados a ser um missionário”, destaca o bispo.
Para facilitar o acesso ao conteúdo de divulgação que está disponível no site das POM, foi lançado também no final do 4º Congresso Missionário Nacional, que aconteceu de 7 a 10 de setembro, em Recife (PE), o aplicativo para celular, o ‘Zappar’, explica o diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), padre Maurício da Silva Jardim
“A novidade é que este ano temos um aplicativo, e com este aplicativo, apontamos para a arte, tanto da Novena Missionária como a Oração Missionária, o cartaz, e o celular o lê e abre um vídeo de apresentação da Campanha e as pessoas podem acessar todo o material, inclusive os nove testemunhos: tudo aí dentro do aplicativo”.
A Campanha Missionária, na qual colaboram a CNBB por meio da Comissão para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, a Comissão para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (Comina) é organizada pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM) que preparou um amplo material de divulgação e estudos. Entre eles, subsídios, DVD´s e orações.
Todos os itens da Campanha foram enviados às Arqui/dioceses e prelazias do Brasil para serem distribuídos entre as paróquias e comunidades. Clique aqui e baixe todo o material da campanha
Mensagem do papa para o Dia Mundial das Missões
Com o título “A missão no coração da fé cristã”, a Mensagem do papa Francisco para o Dia Mundial das Missões 2017 encontra-se nas páginas centrais do livrinho da Novena.
“Qual é o fundamento da missão? Qual é o coração da missão? Quais são as atitudes vitais da missão?”, pergunta Francisco e afirma: “A missão da Igreja é animada por uma espiritualidade de êxodo contínuo”. Trata-se de “sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho” (EG 20). (…) A missão adverte a Igreja de que não é fim em si mesma, mas instrumento e mediação do Reino”, diz o papa

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

“Dia do Pobre” foi um dos assuntos tratados no segundo dia de reunião do Consep

Consep

“Dia do Pobre” foi um dos assuntos tratados no segundo dia de reunião do Consep
O Dia Mundial dos Pobres foi um dos assuntos tratados pelo diretor-executivo da Cáritas Brasileira, Luiz Claudio Mandela no segundo dia da 5ª reunião do ano do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que apresentou as propostas a serem trabalhadas durante a Jornada Mundial dos Pobres.
A data foi instituída pelo Papa Francisco na carta apostólica ‘Misericórdia e mísera’, publicada no encerramento do Jubileu da Misericórdia. O documente pede que o dia seja “um sinal concreto” do Ano Santo extraordinário. Diante dessa realidade, a CNBB e a Cáritas Brasileira preparam a primeira Jornada Mundial dos Pobres que será realizada de 12 a 19 de novembro e terá como tema apresentado pelo papa “Não amemos com palavras, mas com obras”.
O “Dia Mundial dos Pobres”, a ser celebrado dia 19 de novembro, quer ajudar as comunidades e cada batizado a “refletir como a pobreza está no âmago do Evangelho”, referiu o Papa na mensagem. A Cáritas Brasileira, juntamente com a Comissão Episcopal Pastoral para Ação Transformadora da CNBB, pretendem mobilizar a Igreja no Brasil e a sociedade em geral para a Jornada Mundial dos Pobres através da Semana da Solidariedade.
A posposta é realizar atividades concretas que sensibilizem as pessoas para que tenham atenção e cuidado com os pobres. Entre as iniciativas, está o projeto Ruas Solidárias que propõe que as pastorais e movimentos realizem atividades em sua localidade, utilizando a hastag #cuidardaruasuperarapobreza.
A ideia é utilizar um espaço que pode ser uma casa, praça ou até mesmo em uma paróquia como ponto de apoio para momentos de celebração, arrecadação de roupas, atividades sociais e rodas de conversas. A campanha sugere também que no dia 19/11, as celebrações sejam com as pessoas que participaram das atividades durante a semana.

Bispos continuam discussão sobre orientações pastorais para Mídia Católica

Comunicação 

Bispos continuam discussão sobre orientações pastorais para Mídia Católica
Desde a reunião de novembro de 2016, os bispos que compõem o Consep da CNBB estão fazendo amplo debate sobre a atuação das mídias da Igreja e de inspiração católica que atuam no Brasil. O fruto dessa discussão foi se tornando, aos poucos, um texto que tem sido apresentado em vários encontros do conselho. Cada uma das 12 comissões episcopais pastorais da Conferências deu uma contribuição particular para o texto. Os últimos ajustes no material devem ser realizados até a reunião do Conselho Permanente no mês de outubro.
Dom Darci José Nicioli, presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação, apresentou o texto que reúne, na verdade, princípios já preconizados pela Conferência em vários documentos sobre diferentes áreas da evangelização tendo como ponto de convergência o propósito de colaborar com os comunicadores católicos no enfrentamento da desafiadora tarefa de evangelizar e de tratar os assuntos relacionados à fé e à Igreja com parâmetros seguros ancorados no ensinamento do Magistério e do conjunto do episcopado no Brasil.
O texto será submetido à análise dos presidentes dos 18 regionais da CNBB e dos outros membros do Conselho Permanente que deverão se reunir na última semana de outubro. Por parte do Consep tem se levantado questões bem concretas relacionadas ao modo como são observadas, nas mídias católicas, as regras litúrgicas no caso das transmissões da celebração eucarística e de outros atos e os reflexos da orientação da CNBB em várias áreas da ação evangelizadora da Igreja no Brasil.  Segundo dom Darci, “os bispos tem levado em consideração as mensagens que recebem por parte dos fiéis e das comunidades em relação ao trabalho das mídias católicas, tanto as  que contém elogios relacionados ao excelente trabalho que fazem em muitos aspectos e seu indiscutível papel missionário como também as que trazem eventuais críticas e advertências“.
O desejo da CNBB, manifestado em todo o processo de reflexão sobre esta questão, tem sido o de formatar orientações que sirvam de referência positiva e inspiradora para os comunicadores católicos. Não há, por nenhuma hipótese, a intenção de diminuir a importância do trabalho evangelizador realizado pelas mídias com críticas ou censuras, mas  uma explícita determinação dos bispos em colaborar para que esse inestimável esforço dos comunicadores católicos seja um trabalho realizado sempre em profunda sintonia com os ensinamentos da Igreja e, em consequência disso, verdadeiramente católico“, esclarece dom Darci

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Em sua 5ª reunião do ano, Consep aprofunda temas importantes para a Igreja no Brasil

19/09/2017   Consep 

Em sua 5ª reunião do ano, Consep aprofunda temas importantes para a Igreja no Brasil
Em sua 5ª reunião do ano, o Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) reúne pela primeira vez na sede provisória da entidade, na quadra 904, na Asar Norte de Brasília-DF, nos dias 19 e 20 de setembro, para aprofundar e deliberar sobre temas importantes para a vida da Igreja no Brasil.
Temas como a conjuntura social, econômica do Brasil, a Campanha da Fraternidade 2018, a preparação para o Dia do Pobre, definido pelo papa Francisco e um balanço do Grito dos Excluídos, evento organizado com a participação da Igreja Católica, serão aprofundados e deliberados pelos bispos que integram o Consep. O documento Orientações Pastorais para Rádio, TV e Redes Sociais, elaborado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Social da CNBB, também passará pelo crivo dos participantes do Conselho.
O Consep é uma das instâncias permanentes de trabalho da CNBB em vista a animação da ação evangelizadora da Igreja no Brasil. Se reúne, ordinariamente, cerca de seis vezes ao ano. Em geral, seus encontros se revezam, mensalmente, com as reuniões do Conselho Permanente da Conferência. Neste mês de setembro, a reunião está marcada para terça e quarta-feira, 18 e 19 de setembro. Será a primeira reunião do Conselho na sede provisória da CNBBMatriz que se localiza na Quadra 904, chamada de “Asa Norte” de Brasília-DF.
Os membros do Consep são os bispos que compõem a presidência além daqueles que desempenham funções de confiança do episcopado – todos foram eleitos – em setores específicos da evangelização: Ministérios ordenados e vida consagrada; Liturgia; Animação Bíblico-Catequética; Cultura e educação; Ação social transformadora; Ação missionária e cooperação intereclesial; Ecumenismo e diálogo inter-religioso; Vida e Família; Doutrina da Fé; Juventude; Laicato e comunicação.
Além dos bispos que exercem a presidência em cada uma das comissões que respondem por cada uma dessas áreas, a reunião do Consep ainda acolhe a participação da assessoria da comissão episcopal especial para a Amazônia, representantes dos chamados Organismos do Povo de Deus – que representam os diáconos, os leigos, os religiosos, os institutos seculares – e responsáveis executivos ou delegados dos organismos ligados à CNBB como a Cáritas e o Conselho Indigenista Missionário (CIMI). Participam do encontro as assessorias canônica e de política, além dos assessores das comissões episcopais e membros da Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP).

Campanhas da fraternidade são os principais destaques da reunião Consep

Consep 

Campanhas da fraternidade são os principais destaques da reunião Consep
Nova reunião do Conselho Pastoral da CNBB (Consep) se realiza nesta terça e quarta-feira, 8 e 9 de agosto, no auditório dom Helder Câmara, na sede da Conferência. Os bispos têm uma pauta ampla de assuntos, mas o destaque fica por conta da apreciação e aprovação do texto-base da Campanha da Fraternidade de 2018 que tem como tema: “Fraternidade e superação da violência” e a definição da realidade social e eclesial que se tornará tema da Campanha em 2019. Além disso, como de costume, os bispos terão uma sessão especial para o estudo e o aprofundamento da conjuntura sócio-política do Brasil.
Quem participa
A presidência da CNBB coordena a reunião do Consep que conta ainda com a participação dos 12 bispos que presidem as comissões pastorais da Conferência representantes das principais áreas da ação evangelizadora no Brasil. O encontro ainda acolhe assessores das comissões, os coordenadores dos Organismos do Povo de Deus: Comissão Nacional dos Presbíteros (CNP), Conferência de Religiosos do Brasil (CRB), Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), Comissão Nacional dos Diáconos (CND) e a Conferência Nacional dos Institutos Seculares (CNIS). Além deles, estão presentes na reunião, os representes de outros organismos como Cáritas Brasileira, Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP), Centro Cultural Missionário (CCM), Centro Nacional de Fé e Política dom Helder Câmara (CEFEP) e Conselho Indigenista Missionário (CIMI).
Método de trabalho
Os bispos, membros do Consep, adotam como dinâmica de trabalho a apresentação das temáticas inscritas por meio de pedido feito à Secretaria Geral da Conferência e, no início da reunião, acrescentam assuntos novos que são submetidos a aprovação dos bispos presentes. As sessões são presididas pelo Cardeal Sergio da Rocha, presidente da CNBB e as discussões são mediadas por dom Leonardo Steiner, secretário-geral. Os assessores das comissões assumem os serviços que são prestados no sentido de facilitar o encontro dos bispos de modo que cuidam das atas, da organização dos suportes técnicos e distribuição de material.
Nas reuniões do Consep também costumam receber convidados especiais da presidência da entidade para exposição de assuntos específicos de acordo com as necessidades do momento nacional na vida da sociedade e da Igreja. Outra tarefa que os bispos realizam durante as reuniões ordinárias do Consep é a de trazer informações atualizadas sobre o andamento dos trabalhos nas comissões específicas. E, o encontro também tem parte do seu tempo dedicado ao encontro dos bispos presidentes das comissões e suas assessorias.
Visita especial
No programa da reunião do Consep desta semana ainda está uma visita coletiva às novas instalações das Edições CNBB que estão sendo construídas no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), em Brasília (DF).

***********

SERVIÇO
Reunião do Consep – 8 e 9 de outubro
Sede da CNBB, em Brasília (DF)

Membros do Conselho:
Cardeal dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília (DF) – presidente da CNBB
Dom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador (BA) – vice-presidente da CNBB
Dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília (DF) – secretário-geral da CNBB
Dom Armando Bucciol, bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia
Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada
Dom João Bosco Barbosa de Sousa, bispo de Osasco (SP) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Vida e Família
Dom Guilherme Werlang, bispo de Ipameri (GO) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora
Dom Esmeraldo Barreto, bispo-auxiliar de São Luís (MA) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial
Dom João Justino de Medeiros, arcebispo coadjutor de Montes Claros (MG) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação
Dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina (MG) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação
Dom Pedro Carlos Cipollini, bispo de Santo André (SP) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé
Dom Severino Clasen, diocese de Caçador (SC) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato
Dom Francisco Biasin, bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda (RJ) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso
Dom Vilson Basso, bispo de Imperatriz (MA) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude
Dom José Antônio Peruzzo, arcebispo de Curitiba (PA) – Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Aracaju (SE) sedia o 14º Encontro de Presbíteros do Nordeste

Aracaju (SE) sedia o 14º Encontro de Presbíteros do Nordeste

Com o Tema “Presbítero do Nordeste: Discípulo do Senhor e Pastor do Rebanho” e o lema “Cuidai de vos mesmos e de todo o rebanho, pois o Espírito Santo os constituiu como guardiães…” (At 20,28), Aracaju recebe até o dia 25 de agosto deste
, o 14º Nordestão de Presbíteros.
O encontro foi coordenado pelo presidente da Comissão Regional dos Presbíteros (CRP), do regional Nordeste 3, padre Iuryi Ribeiro.

Em sintonia com Ano Mariano, comissão lança subsídio para Semana da Vida

23/08/2017   Família 

Em sintonia com Ano Mariano, comissão lança subsídio para Semana da Vida
A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresentou o subsídio “Hora da Vida”, preparado para a Semana Nacional da Vida e o Dia do Nascituro, que ocorrem de 1º a 7 de outubro e no dia 8 de outubro, respectivamente. No contexto das celebrações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba do Sul e do Ano Mariano, instituído pela CNBB, o tema escolhido para esta edição é “Bendito é o fruto do teu ventre” (Lc 1,42).
Para o bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom João Bosco Barbosa de Sousa, a frase dita por Isabel a Maria serve para “nos orientar e dar muita importância àquele fruto que está no ventre das mães, que é o nascituro, que é a esperança, a vida que nasce, o dom de Deus”.
CNPF/divulgação – Subsídio está disponível em lojacnpf.org.br
Durante a Semana Nacional da Vida, oficializada pela CNBB em âmbito nacional no ano de 2005, a Igreja no Brasil passará por um momento de evangelização e de compreensão da dignidade da vida. O subsídio “Hora da Vida” tem como objetivo ajudar comunidades e famílias a se organizarem e viverem bem esta semana.
“A Semana da Vida e o Dia do Nascituro é essa oportunidade de nós enquanto agentes de Pastoral Familiar fazermos frente àquilo que é contra a vida, nocivo à vida. Mais uma vez estaremos unidos em oração neste mês de outubro para defendermos a vida e refletirmos a beleza de ser mãe e pai, que dão a vida para aqueles filhos que nascem e cuidam dos filhos. Então, a Igreja com essa celebração e as reflexões propostas quer ajudar a todas as famílias a defenderem esse grande e importantíssimo dom que Deus nos deu, que é a vida”, reflete o assessor da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, padre Jorge Alves Filho.
Ele explica que os sete encontros do livreto estão ligados desde a anunciação do anjo que Maria seria a mãe do menino até a vida de Jesus enquanto criança. O material – preparado pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) em parceria com o Movimento Brasil Sem Aborto e o grupo Promotores da Vida – ainda conta com propostas de Celebração da Vida para o Dia do Nascituro e de bênção para o momento do parto. “Em cada encontro temos a oportunidade de recordar a história de Jesus e também de sua mãe, que protagonizou a bela atitude de acolher uma vida que teria a missão de salvar as vidas”, conta padre Jorge Filho.
Defesa da vida
Missão exigente da Igreja nos últimos anos, a defesa da vida desde sua concepção ao seu declínio natural é a principal motivação para a Semana Nacional da Vida. “Nós como Igreja, como agentes de pastoral, precisamos ajudar para que a palavra do Cristo ‘Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em plenitude’ seja realmente uma palavra que seja respeitada no mundo. Por isso, nós reafirmamos o valor da vida, a nossa luta contra o aborto de inocentes, e reafirmamos a nossa pertença a essa Igreja que luta pela vida”, sustenta o assessor.
Ressaltando a relação amorosa de Deus para com a criação presente no mistério da encarnação, dom João Bosco Barbosa destaca o dever e a responsabilidade de respeitar e promover a vida plena. “O Deus da vida se faz presente onde a vida se mostra mais frágil: no nascituro, no adolescente, no abandonado e no perseguido, no migrante, no enfermo, no idoso. Nestes tempos em que a vida familiar tem sido tão agredida, cabe-nos buscar na fonte e levar a todos os homens e mulheres a certeza de que vale a pena cultivar esse dom”, afirma o bispo.
A Semana Nacional da Vida parte da dinâmica de defesa da vida e é celebrada oficialmente desde 2005 quando foi oficializada pela CNBB. Antes disso, porém, desde a década de 1980 aconteciam iniciativas, como campanhas, aprofundamentos, encontros e cursos relacionados à temática.
O subsídio Hora da Vida está disponível no endereço lojacnpf.org.br. Encomendas podem ser feitas no mesmo endereço, pelo telefone (61) 3443-2900 ou ainda pelo e-mail vendas@cnpf.org.br O material também é distribuído pelos casais coordenadores e agentes da Pastoral Familiar nos regionais e dioceses.