quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Nomeado bispo para Oeiras (PI): Dom Edilson Soares Nobre

Por
 diocese

Cidade do Vaticano (RV) – Depois de um ano vacante, a Diocese de Oeiras (PI) ganhou um novo bispo esta quarta-feira (11/01). O Papa nomeou o Pe. Edilson Soares Nobre, atualmente Vigário Geral da Arquidiocese de Natal (RN).
Dom Edilson nasceu em 9 de maio de 1965 em Touros (RN). Estudou Filosofia e Teologia no Seminário Maior “São Pedro”, em Natal e Comunicação Social na Pontifícia Universidade Salesiana de Roma. Foi ordenado em 1991.
Desempenha várias atividades na Arquidiocese de Natal: além de ser Vigário Geral, é Pároco da Paróquia de Sant’Ana – Campim Macio; Coordenador Arquidiocesano do Setor de Comunicação; Membro do Colégio de Consultores; Membro do Conselho Episcopal; Membro do Conselho Presbiteral e Membro do Conselho de Assuntos Econômicos.
O município de Oeiras se localiza no centro do estado do Piauí e tem cerca de 37 mil habitantes.
Fonte: RV

Papa Francisco nomeia arcebispo de Aracaju

Dom João José Costa assume governo pastoral após acolhida de renúncia de dom José Palmeira Lessa
O papa Francisco acolheu, nesta quarta-feira, dia 18 de janeiro, o pedido de renúncia ao governo pastoral da arquidiocese de Aracaju (SE) apresentado por dom José Palmeira Lessa (à esquerda), em conformidade com cânon 401§ 1 do Código de Direito Canônico. O comunicado da Nunciatura Apostólica no Brasil informa ainda que, em consequência, assume o governo da Igreja particular o atual bispo coadjutor, dom João José Costa (à direita).
Dom José Palmeira Lessa completa 75 anos hoje. Ordenado bispo em 24 de agosto de 1982, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), foi bispo auxiliar naquela arquidiocese, acompanhante de Pastorais no regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e na arquidiocese do Rio, bispo de Propriá (SE), responsável pela Cáritas do regional Nordeste 3, além de membro do Conselho Diretor Nacional do Movimento de Educação de Base (MEB). Dom Lessa estava em Aracaju desde 1996, quando foi nomeado coadjutor.

Novo arcebispo

Dom João José Costa é natural de Lagarto (SE), nasceu em 24 de junho de 1958. Membro da Ordem do Carmo, fez sua profissão religiosa em 2 de janeiro de 1986. Foi nomeado bispo da diocese de Iguatu (CE) em 07 de janeiro de 2009. Escolheu o lema “Servo por amor”. Em sua trajetória, dom João José já atuou como conselheiro da Província Carmelita, foi formador nas etapas de Postulantado e Filosofia na Província, trabalhou na Pastoral Carcerária, prestou assistência espiritual na Fazenda Esperança, em Lagarto (SE). Ao ser nomeado bispo, era prior do Convento do Carmo de São Cristóvão (SE). Dom João é o atual presidente da Cáritas Brasileira no período de 2016 a 2019.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Dom Damasceno se despede da arquidiocese de Aparecida

O programa Igreja no Brasil, produzido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) homenageia a até o próximo sábado, 21, o cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo emérito de Aparecida (SP). Nesta edição, o programa traz uma entrevista especial com o cardeal que conta um pouco de sua trajetória e missão como sacerdote e bispo.
Na última sexta-feira, dom Damasceno se despediu da arquidiocese de Aparecida (SP) com uma celebração solene, no Santuário Nacional. O cardeal deixa a arquidiocese depois de 13 anos dedicados à casa da Rainha e Padroeira do Brasil. A missa foi presidida no Altar Central, onde, por diversas vezes, o cardeal se pronunciou a respeito de assuntos importantes para a Igreja no Brasil e para os seus fiéis. Em seu discurso, dom Damasceno destacou os frutos alcançados naquela Igreja particular. “Os frutos colhidos hoje são resultado do trabalho dedicado na ação evangelizadora do clero, os religiosos, leigos e agentes de pastoral em nossas paróquias e santuários”, afirmou o cardeal.
Ele ainda expressou seus agradecimentos e seu sentimento de dever cumprido. “Muitas memórias passam no meu coração, são muitos fatos e acontecimentos nesses 13 anos à frente da arquidiocese. Aparecida é o lugar da manifestação do amor de Deus para povo brasileiro”, afirmou.
Dom Damasceno foi o quarto arcebispo de Aparecida (SP). Assumiu o cargo em 2004, após 44 anos servindo à arquidiocese de Brasília (DF). Sua renúncia, por idade, foi aceita pelo papa Francisco no dia 16 de novembro, aos 79 anos.
Dom Orlando Brandes, nomeado para o cargo, toma posse no dia 21 de janeiro, sábado, às 9h, no Santuário Nacional.
De volta a Brasília, dom Damasceno continuará trabalhando nas presidências da Comissão Episcopal para o Acordo Brasil - Santa Sé e do Centro de Estatística Religiosa e Intervenções Sociais, ambas na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNNB). Já no Vaticano, ele continua como membro do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais e da Pontifícia Comissão para América Latina.

Atuação na CNBB

Em 1995, dom Damasceno foi eleito secretário geral da CNBB, cargo que exerceu por dois mandatos até 2003. Em abril de 2011, foi eleito presidente da Conferência, para o mandato de 2011 a 2015.
Com informações do portal A12.com
Fotos: Denílson Luís/Santuário Nacional

Arcebispo de Natal emite nota sobre massacre em penitenciária do Rio Grande do Norte

Dom Jaime Vieira: "Nossa prece e atenção por esses momentos trágicos de violência e de morte"

O arcebispo de Natal (RN), dom Jaime Oliveira Rocha, emitiu nota à arquidiocese, à sociedade e aos homens e mulheres de boa vontade a respeito do fato do massacre ocorrido na noite deste sábado, 14 de janeiro, quando pelo menos dez presos foram assassinados durante uma briga entre facções criminosas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, região metropolitana de Natal.

Leia a Nota:


ARQUIDIOCESE DE NATAL


Nota do Arcebispo de Natal sobre a situação da Penitenciária de Alcaçuz



Irmãos e irmãs,

Acompanhamos, com muito pesar e tristeza, os últimos acontecimentos ocorridos na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. Nossa prece e atenção por esses momentos trágicos de violência e de morte. Sem dúvida, é necessária uma urgente reflexão sobre as condições dos nossos presídios. Suplicamos ao bom Deus para que apazigue os ânimos daqueles nossos irmãos a fim de que renunciem à violência, e a sociedade e o Estado busquem o diálogo e encontrem caminhos para enfrentar a problemática que envolve o nosso sistema prisional. Em todas as missas, hoje, no momento da Oração da Assembleia, coloquemos nas intenções a súplica implorando a compaixão do nosso Deus por aqueles que perderam a vida e por todos os que se encontram nos presídios que, como bem disse o Papa Francisco, devem ser lugares de humanização e de esperança de mudança. Deve ser ideal de todos os brasileiros construir uma Pátria de cidadãos com oportunidades de vida digna, direitos e deveres para todos, e não uma Pátria de excluídos e marginais.



Natal, 15 de janeiro de 2017

Dom Jaime Vieira Rocha

Arcebispo de Natal

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Edições CNBB disponibiliza cifras e partituras para a CF 2017

Material para auxiliar músicos das comunidades poderá ser baixado gratuitamente
As cifras e partituras dos cantos da Campanha da Fraternidade 2017 (CF 2017) e da Quaresma deste ano estão disponíveis gratuitamente no site da editora Edições CNBB. Os interessados poderão fazer o download do arquivo com todas as músicas do CD cuja primeira música é o Hino Campanha da Fraternidade 2017, de autoria de padre José Antônio de Oliveira e Wanderson Freitas.
A Campanha da Fraternidade deste ano propõe o tema “Fraternidade: Biomas brasileiros e a defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação (Gn2,15)”. O CD possui 24 faixas com o hino, três músicas inéditas relacionadas à temática da CF, os cantos para a Quaresma – Ano A e partes fixas da Missa, como ato penitencial, Santo, aclamações da Oração Eucarística, Eis o Mistério da Fé, Amém e Cordeiro de Deus. Todas as cifras estão disponíveis no arquivo PDF que poderá ser baixado no site da editora após cadastro. No encarte do CD estão impressas as partituras de cada música.

Cultivar e guardar a criação

A proposta da CF 2017 é dar ênfase à diversidade de cada bioma brasileiro e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente à luz do Evangelho. É o que sustenta o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner. Para ele, a depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “Ao meditarmos e rezarmos os biomas e as pessoas que neles vivem sejamos conduzidos à vida nova”, afirma.
Ainda de acordo com dom Leonardo, a Campanha deseja, antes de tudo, que o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. “Cultivar e guardar nasce da admiração! A beleza que toma o coração faz com que nos inclinemos com reverência diante da criação. A campanha deseja, antes de tudo, levar à admiração, para que todo o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. Tocados pela magnanimidade e bondade dos biomas, seremos conduzidos à conversão, isto é, cultivar e a guardar”, salienta.

Coleções de cantos da CF 

No site da CNBB há uma coletânea de partituras dos hinos e alguns cantos de várias edições da Campanha da Fraternidade, desde 1966.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

CNBB realizará lançamento da Doutrina Social da Igreja para os Jovens (DOCAT)

Evento ocorrerá na sede da CNBB, em Brasília, às 14h30
A Comissão Episcopal para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança nesta quarta-feira, 23 de novembro, o Compêndio da Doutrina Social da Igreja para os Jovens – Docat. As cerimônias ocorrerão em locais e horários distintos, uma na sede da CNBB, em Brasília (DF), às 14h30 e outra no Colégio Dom Bosco, às 20h, também em Brasília.
O Docat é uma adaptação atraente e ilustrativa do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, um pequeno manual dos Ensinamentos Sociais da Igreja. O livro foi idealizado pelos mesmos criadores do Catecismo Jovem (Youcat) e apresentado durante a Jornada Mundial da Juventude 2016, ocorrida em Cracóvia, na Polônia. Seu principal objetivo é ensinar numa linguagem dialógica, com perguntas e respostas, como os jovens cristãos podem mudar o mundo através da ação social e política, com base nos ensinamentos do Evangelho.
A elaboração e a ilustração do livro contou com a participação de jovens de diferentes países. De acordo com o assessor da Comissão para a Juventude, padre Antônio Ramos Padro, com o Docat a Igreja pretende ter um alcance maior, sobretudo dos Jovens. “A Doutrina Social da Igreja é um documento antigo e que nessa linha de diálogo com os jovens os convoca para praticar três ações contínuas, uma é de se transformar; transformar ele mesmo enquanto jovem, transformar ao seu redor e transformar a sociedade”, explica.
Durante o lançamento, a “Edições CNBB” disponibilizará exemplares para a venda. Participarão da ocasião, a presidência da CNBB, membros do Conselho Episcopal Pastoral e representantes do Setor Juventude da arquidiocese de Brasília. 

Comissão para os Bispos Eméritos planeja próximas atividades

Reunião ocorreu na sede da CNBB, em Brasília

A Comissão Especial para os Bispos Eméritos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) esteve reunida nesta segunda-feira, 21, na sede da entidade, em Brasília (DF). Na ocasião, os bispos fizeram um balanço anual das atividades da Comissão e planejaram ações para o ano de 2017. 
Uma dessas ações foi apontada pelo arcebispo emérito de Manaus e presidente da Comissão, dom Luiz Soares Vieira, que destacou a elaboração das próximas edições do informativo “Marcas no Caminho”. “Primeiramente nós tratamos aqui do nosso informativo ‘Marcas no Caminho’, que ano que vem esperamos contar com três números. Ele deverá ter entrevistas com alguns bispos do Brasil, notícias da CNBB e, claro, dos bispos eméritos”, afirmou.
Na reunião, os bispos também planejaram o próximo Encontro Nacional dos Eméritos, que ocorrerá de 11 a 14 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ). Ainda no ano que vem, eles também participarão de um encontro promovido pelo Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), em março. Para dom Luiz, os eventos pretendem proporcionar aos participantes uma troca de experiência e vivência.
O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, também esteve presente no encontro. 

A Comissão

A Comissão Especial para os Bispos Eméritos foi criada em 2012 pela presidência da CNBB. Segundo o documento oficial de criação, a Comissão tem como atribuições “acompanhar os bispos eméritos; apoiar e dar assistência aos mesmos; ser elo de comunicação entre os bispos e bispos eméritos e atender às necessidades dos eméritos que não sejam supridas pelas respectivas dioceses".
Atualmente é composta pelo presidente, dom Luiz Soares Vieira; pelo secretário, dom Esmeraldo Barreto Faria; por dom Augusto Alves da Rocha, dom Genival Saraiva França, dom Elias James Manning, dom Itamar Vian e pelo assessor da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, padre Deusmar Jesus da Silva.